segurança do trabalho na construção civil é uma das grandes preocupações de quem trabalha nos canteiros de obra, pois se trata de um local em que os colaboradores estão expostos a vários riscos diariamente. Com isso, o setor acaba sendo um dos maiores responsáveis pelos acidentes e mortes durante o expediente.

Portanto, saber quais são os riscos mais comuns na construção civil e aplicar as normas direcionadas ao segmento são ações imprescindíveis para a empresa promover um ambiente de trabalho mais seguro.

No conteúdo a seguir, vamos entender mais sobre o assunto. Boa leitura!

Importância da segurança do trabalho na construção civil

De acordo com o Anuário Estatístico da Previdência Social, foram registrados no INSS cerca de 549,4 mil acidentes do trabalho durante o ano de 2017. Os dados ainda apontam que a construção civil é um dos setores econômicos com o maior número de acidentes e mortes.

No Brasil, um acidente de trabalho ocorre a cada 48 segundos: entre 2012 e 2019 (até 23 de março), foram registrados 4,671 milhões. Já em relação às mortes no trabalho, é estimada uma ocorrência a cada 3 h e 38 m, sendo que já são mais de 17 mil casos registrados.

Os dados são do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho (SST). Essa ferramenta, do Ministério Público do Trabalho e da Organização Internacional do Trabalho, acompanha os acidentes em tempo real por meio do acidentômetro e realiza um mapeamento das áreas com maior incidência de casos no país.

Consequências dos acidentes

Os acidentes não causam repercussões apenas de ordem jurídica, uma vez que a empresa ainda tem que arcar com os custos econômicos do empregado. Eles são maiores do que os investimentos em segurança.

Os gastos com segurança, por exemplo, envolvem treinamentos, equipamentos de proteção, manutenção de máquinas, realização de exames periódicos e manutenção da infraestrutura. Já os custos com a falta de segurança incluem:

  • despesas médicas;
  • pagamento de benefícios e indenizações;
  • prejuízos materiais;
  • multas;
  • penalizações;
  • pendências jurídicas;
  • pagamento por afastamento;
  • contratação de funcionário substituto;
  • paradas das atividades;
  • baixa produtividade;
  • aumento dos impostos (como o FAP);
  • prejuízo para a imagem da empresa perante a sociedade e os colaboradores.

Riscos mais comuns na construção civil

Vamos conhecer os principais agentes causadores de acidentes e mortes na construção civil, conforme os dados do Observatório SST? Acompanhe!

Choques elétricos

Se algum equipamento não estiver com a segurança em dia pode causar acidentes no ambiente de trabalho. Fios e cabos desencapados podem resultar em choques elétricos, por exemplo.

Queda de altura

Toda obra realizada em altura exige muita atenção por parte dos colaboradores, além do uso adequado de equipamentos como o cinto de segurança. Isso porque um erro pode trazer graves consequências e resultar em lesões dos colaboradores.

Falta de sinalização

A ausência de informações sobre os riscos nos locais de trabalho e outros fatores podem gerar graves problemas para a empresa. Todos os tipos de sinalização devem fazer parte de um canteiro de obras, como saídas de emergências, local de guarda de equipamento de segurança e delimitação de áreas de risco existentes.

Falhas no uso de equipamentos

A falta de treinamentos e instruções adequadas para o uso correto dos equipamentos é outro problema que ocorre nos canteiros de obras e ocasiona doenças ou acidentes. Doenças de pele podem ser causadas pelo contato direto com o cimento caso o colaborador não esteja usando proteção.

Negligências

Os atos inseguros no canteiro também representam problemas para as empresas, pois o colaborador é responsável por sua própria segurança e pela de seus colegas. Por isso, eles não devem correr no local ou ficar desatentos enquanto operam máquinas e equipamentos.

Principais mecanismos de segurança do trabalho na construção civil

Muitos acidentes e doenças ocupacionais poderiam ser evitados com a adoção das normas de segurança no ambiente de trabalho e o controle rigoroso dos documentos referentes ao assunto. Então, veja a seguir quais são as definições que, se aplicadas corretamente, podem prevenir contratempos no canteiro de obras.

NR 4 — Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT)

Todas as empresas que têm colaboradores contratados pelo regime da CLT devem contratar profissionais para promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador durante o expediente.

NR 6 — Equipamento de Proteção Individual 

A construtora é obrigada a fornecer equipamentos de proteção a seus colaboradores. Eles devem ser distribuídos gratuitamente, estando adequados ao risco da atividade exercida e em perfeito estado de conservação e funcionamento.

NR 7 — Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) 

Essa norma estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação do PCMSO, com o objetivo de promover e preservar a saúde dos trabalhadores.

NR 8 — Edificações

Na NR 8, são estabelecidos requisitos para garantir a segurança dos trabalhadores que se encontram nas edificações. A existência de coberturas nos locais de trabalho, para proteger contra as chuvas ou a insolação excessiva, é um dos exemplos.

NR 9 — Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)

A norma visa à preservação da saúde e da integridade dos colaboradores ao antecipar, reconhecer, avaliar e controlar os riscos ambientais existentes (ou que possam surgir) no canteiro de obras.

NR 18 — Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção 

São estabelecidas as diretrizes administrativas, de planejamento e organização para canteiros de obras. Para tanto, utilizam-se medidas de controle e sistemas preventivos de segurança do trabalho.

NR 26 — Sinalização de Segurança

O objetivo é informar a proximidade de uma situação de perigo com a qual se deve ter atenção, evitando eventos indesejados. Há tipos e cores de placas específicas para cada contexto de risco encontrado no ambiente de trabalho.

NR 35 — Segurança e Saúde no Trabalho em Altura

Qualquer atividade executada acima de dois metros do nível imediatamente inferior e onde haja risco de queda dos trabalhadores precisa seguir algumas normas de segurança. Tal situação é muito comum na construção civil, por isso as construtoras devem estar atentas à NR 35.

Diante dos números assustadores de acidentes trabalhistas, há uma preocupação crescente com a segurança do trabalho na construção civil. Então, para garantir que as estatísticas sejam reduzidas, é fundamental realizar treinamentos e estudar as NRs especialmente em locais com muitos riscos de acidentes, como os canteiros de obra.

Faça também manutenções preventivas nos equipamentos ou nas máquinas, invista em profissionais de segurança do trabalho e conte com uma empresa que possa ajudar na implementação de alternativas de segurança do trabalho na construção civil.

Quer saber como podemos ajudar você nessa tarefa? Entre em contato conosco e conheça nossos serviços.