A produtividade no trabalho está relacionada com o quanto do tempo total é efetivamente empregado em atividades que geram resultados. Para ilustrar o panorama, a empresa Workforce levou a campo uma pesquisa com 500 empresas para aferir o quanto seus profissionais são produtivos. No estudo, ficou constatado que apenas 39% do tempo passado nas empresas era usado para cumprir tarefas.

No Brasil, outro estudo de mercado, veiculado no portal G1, revela que apenas 56% dos brasileiros estão satisfeitos em suas posições de trabalho. Uma das possíveis razões para a desmotivação e a baixa produtividade é a sobrecarga, ou seja, o excesso de tarefas.

Se você sente que está perdendo o controle de sua equipe, veja o que fazer para evitar o acúmulo de funções e elevar a performance como um todo. Acompanhe atentamente!

Saiba reconhecer uma equipe sobrecarregada

Em alguns casos, os sinais de sobrecarga são sutis. Se nada for feito, com o tempo seus efeitos vão se acumulando ao ponto de chegar ao colapso total, em que o trabalhador simplesmente para. Assim sendo, podemos apontar como sinais de sobrecarga:

  • falta de feedbacks: o trabalhador ou a equipe não informa sobre o que está sendo feito, ou deixa de fazer perguntas;
  • indisponibilidade: quando uma nova frente de trabalho surge, a resposta é sempre negativa;
  • absenteísmo: ausências do trabalho, justificadas ou não, podem indicar que aquele trabalhador está no limite de suas forças;
  • conflitos: divergências no trabalho são normais e até desejáveis, mas quando elas se transformam em conflitos recorrentes e por motivos banais, podem indicar excesso de trabalho.

Uma vez identificadas as causas da sobrecarga, cabe a você agir para evitar que a “bola de neve” aumente de tamanho. Para isso, você deverá ponderar o quanto o acréscimo de funções ou de tarefas repercute na performance das pessoas.

Meça o volume de trabalho x produtividade

Muitas das vezes, a sobrecarga acontece porque as empresas não sabem avaliar o quanto se deve produzir em um determinado período.

Por isso, você deverá implementar mecanismos de controle e gestão para saber o máximo das capacidades que tem disponíveis. Se for uma fábrica, poderá utilizar o OEE para aferir o quanto seus equipamentos poderão produzir, o que ajuda a orientar o trabalho humano.

Caso você seja prestador se serviços, deverá calcular o quanto sua empresa consegue produzir em uma unidade de tempo. Tenha como ponto de partida a quantidade de tarefas, o tempo gasto para cada uma e o quanto elas geram de valor para o seu negócio.

Ajude suas equipes a vencer o excesso de trabalho

Nem sempre a rotina profissional permite evitar o acúmulo de funções ou de tarefas. Movidos pela perspectiva do lucro, a tendência sempre aponta para a quantidade, às vezes em detrimento da qualidade.

Por essa lógica, seus colaboradores acabam absorvendo uma quantidade de trabalho para a qual não estavam preparados. Pior, fazem isso de maneira irrefletida.

Portanto, além das ferramentas para calcular destacadas, use sempre do bom senso e muito diálogo para saber se a produtividade no trabalho em sua empresa está comprometida. O capital humano é sempre o mais valioso, cuide bem dele e seus resultados o acompanharão!

Continue bem informado sobre gestão de pessoas, segurança do trabalho e assuntos que fazem a diferença em suas rotinas de RH. Siga nossa fanpage no Facebook e receba em seu feed nossos conteúdos!