A cultura de segurança do trabalho vai além da obediência às normas e procedimentos para evitar acidentes. Quando uma empresa estimula a convivência sadia, pautada na disciplina consciente e esforço coletivo, tende a perpetuar a postura preventiva. Com o tempo, o que é regra passa a fazer parte do dia a dia naturalmente, ou seja, consolida-se como cultura.

Contudo, deve-se considerar as estatísticas preocupantes a respeito dos acidentes de trabalho no Brasil, como aponta o Anuário Estatístico de Acidentes de Trabalho (AEAT). De acordo com o documento, embora em queda desde 2015, a quantidade de acidentes em solo brasileiro ainda é muito elevada.

Em 2017, quase 550 mil registros foram feitos, número que pode até dobrar, se levarmos em conta os acidentes não registrados. Veja, a seguir, como implementar uma cultura em sua empresa que valorize, acima de tudo, o ser humano, por meio da criação de condições seguras de trabalho.

Implemente a análise de riscos

O primeiro passo para modificar o panorama em sua empresa é saber que riscos seus trabalhadores estão enfrentando ou que podem vir a enfrentar em suas rotinas.

Sendo assim, avalie primeiramente a que tipo de situação perigosa eles estão expostos, de forma a criar um mapa de risco visando definir ações de contenção. Se for uma indústria química, você poderá identificar pontos em que substâncias perigosas ou tóxicas possam vir a ser inaladas ou entrar em contato com as pessoas.

Em um canteiro de obras, sua avaliação deverá focar em locais que apresentem risco de queda de materiais. Convém, ainda, verificar pontos em que os operários possam vir a sofrer quedas ou serem atingidos. Avalie conforme o tipo de risco, até que todo o local seja conhecido nos mínimos detalhes.

Faça a avaliação dos programas

Junto à gestão de riscos, você também poderá montar um quadro estatístico para saber quantos acidentes aconteceram em um dado espaço de trabalho e período. Até mesmo se a quantidade for zero, sempre é possível avançar, até que a cultura de segurança do trabalho se consolide. Se a empresa está há 180 dias sem acidentes, seus profissionais de segurança do trabalho e a CIPA poderão estipular uma nova meta a ser alcançada.

Uma vez atingidos, novos recordes poderão ser traçados e posteriormente quebrados. O mais importante é que, com o passar do tempo, as pessoas não abandonem a postura preventiva, pela qual poderão até ser bonificadas.

Forneça recompensas

Enquanto há empresas nas quais os índices de acidentes estão próximos do zero, há aquelas em que o trabalho a ser feito é mais árduo. Você viu que as empresas brasileiras estão deixando a desejar, embora o AEAT mostre queda significativa no número de acidentes.

Nos casos em que o esforço para redução dos índices for maior, sua empresa poderá estimular o engajamento das pessoas, oferecendo recompensas. Pode começar traçando metas simples, como 10 dias sem acidentes, pelos quais cada trabalhador poderá receber um percentual a mais no contracheque.

O mais importante é estabelecer metas que sejam realmente possíveis de atingir, principalmente no início, em que pode faltar motivação. Acompanhe os resultados, divulgue-os e vá progressivamente estipulando novas marcas, concedendo prêmios compatíveis.

Adeque-se às normas e leis de segurança

O conjunto de normas de segurança do trabalho é relativamente extenso e nem sempre empresas com pouca maturidade no assunto conseguem dar conta do seu cumprimento. Conhecidas como Normas Regulamentadoras (NR), consistem em um amplo compêndio com 36 normas que disciplinam as questões de segurança laboral.

Da NR 01, que trata das Disposições Gerais, até a NR 36, que versa sobre Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados, há muito o que aprender. Procure pela NR relativa ao seu ramo de atuação e ajuste suas operações a todos os dispositivos dela. Assim, sua empresa não só entra no caminho para criar uma cultura de segurança do trabalho, como também evita multas e suspensões.

Realize treinamentos

Em função do conteúdo extenso e da quantidade de procedimentos, é igualmente importante investir em formação e educação. Nesse sentido, procure engajar seus colaboradores, promovendo treinamentos, simulações e atividades lúdico/recreativas. Quanto mais você mostrar com ações a importância da segurança no trabalho, mais rápido seus colaboradores assimilarão os conceitos.

E já que o grande objetivo é formar as bases de uma cultura voltada para a segurança, nada mais apropriado do que educar as pessoas. Só assim é possível manter o engajamento com uma causa que nem sempre é fácil de ser abraçada, em função do grande esforço envolvido.

Faça avaliação médica e psicológica

Quais as condições físicas, médicas e mentais de seus trabalhadores hoje? Conhecer o estado de saúde das equipes sujeitas a risco ocupacional é fundamental para a adoção de medidas preventivas.

Há casos em que doenças do trabalho se instalam aos poucos, silenciosamente e sem apresentar sintomas. Nem sempre o ambiente revela os riscos a que as pessoas estão expostas. Cabe aos profissionais de saúde antecipar-se, tomando as medidas preventivas necessárias.

Estimule atividades de prevenção

A própria lei já obriga as empresas a realizarem anualmente a Semana Interna para Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT). É a oportunidade de aumentar o engajamento com os procedimentos preventivos e ressaltar a importância de valorizar o respeito às normas.

No entanto, sua empresa pode ir além, criando um calendário de atividades que mantenham seus colaboradores permanentemente motivados. Então seja criativo, e, se necessário, peça apoio dos profissionais de Recursos Humanos e de Comunicação.

Seja transparente e comunique-se

Não existe cultura que floresça ou sobreviva à falta de comunicação. Ciente disso, você precisará manter sempre ativos e abertos os seus canais de comunicação internos e externos. Intranet, redes sociais e grupos de WhatsApp, desde que bem controlados, são ótimos meios para se comunicar.

Por meio deles, você não só deixa claro o que espera de cada um, como melhora o clima organizacional e a percepção de uma postura de transparência. Perceba que, até atingir o status de cultura de segurança do trabalho, as normas demandam certa vigilância. Para tanto, nada melhor do que estar sempre em contato com o seu público-alvo e receber dele o feedback necessário.

Com nossas dicas você aprendeu a melhorar a cultura de segurança do trabalho em sua empresa. Agora é hora de avaliar a situação e contar com a ajuda de seus colaboradores.

Em sua empresa a implementação dessas ações ainda é um grande desafio? Então faça contato conosco agora mesmo para podermos ajudá-lo na criação de um ambiente mais seguro!