De acordo com a Organização Internacional de Padronização ISO 31000, gestão de riscos é a terminologia utilizada para definir um conjunto de ações estratégicas que começam com a identificação, seguindo para administração, condução e prevenção dos riscos relacionados a uma determinada atividade.

A gestão de riscos é importante porque ajuda na manutenção da segurança e da qualidade das atividades prestadas, garantindo eficiência e minimizando os riscos negativos dentro do contexto empresarial.

Considerando a importância dessa estratégia para a administração de um negócio, elaboramos este artigo com seis dicas que vão ajudá-lo na realização de uma gestão de riscos eficiente na sua empresa. Descubra!

1. Comece com um bom planejamento

O primeiro passo para a aplicação de qualquer estratégia de gestão de riscos é a elaboração de um planejamento. Nessa etapa é definida a forma como serão conduzidas as atividades.

Um planejamento bem elaborado é importante porque aumenta a probabilidade de sucesso das demais fases do processo de gerenciamento.

2. Invista em comunicação

Dedicar atenção especial à comunicação é fundamental para qualquer setor de uma empresa, e na gestão de riscos não é diferente.

A comunicação, nesse caso, deve ser inserida com o objetivo de trabalhar de maneira integrada, dando feedbacks aos colaboradores e sabendo ouvir o que os profissionais têm a dizer.

Nesse sentido, leve em consideração as sugestões da equipe. Elas são fundamentais para garantir uma estratégia mais eficiente e alinhada ao escopo do negócio. 

3. Conheça os limites

É possível atuar no sentido de suavizar riscos, mas é importante que o gestor reconheça os limites do negócio e da equipe para não perder tempo e energia se preocupando com situações pouco relevantes.

Isso porque existem riscos e eventos que não são passíveis de avaliação e mitigação, a exemplo da possibilidade de alagamento na empresa. É um risco? Sim! Mas qual a chance de ele acontecer? Muito pequena, provavelmente.

Por outro lado, o risco de um colapso econômico no mercado, levando em consideração o cenário político e econômico no Brasil, é um risco mais provável e mais preocupante. Correto? E esse ponto deve ser objeto do planejamento e da gestão de riscos da sua empresa.

Dessa forma, a dica é: priorize o que realmente é relevante e próximo ao seu negócio. Esqueça os eventos extremos.

4. Faça uma análise qualitativa e quantitativa dos riscos

Após a identificação, descrição e categorização das ameaças, é necessário estimar a probabilidade de ocorrência e o possível impacto no negócio.

Essa análise pode ser feita sob duas perspectivas: quantitativa e qualitativa. A primeira é aquela que leva em consideração a probabilidade numérica. Por exemplo: as chances de ocorrência da ameaça são de 80%. Já a qualitativa pode ser estimada em probabilidade “baixa”, “média” ou “alta. 

Essa categorização é importante porque ajuda a priorizar as ameaças mais significativas e as menos relevantes, auxiliando no gerenciamento adequado de cada uma.

5. Aposte em um bom monitoramento

Com um gerenciamento consolidado, é importante dar atenção para a etapa de monitoramento. Nesse estágio o gestor terá condições de avaliar o percurso da estratégia, identificar o andamento do seu plano e ter uma percepção mais clara dos riscos, na prática.

Investir em um bom monitoramento permite ter maior clareza quanto à eficiência das medidas adotadas, auxiliando na mudança de planos caso for necessário.

6. Não neglicencie nenhuma etapa do processo de gestão de riscos

Por fim, a última dica diz respeito à necessidade de respeitar todas as etapas do processo de gestão de riscos:

  1. Identificação dos riscos;
  2. Avaliação da probabilidade e impacto;
  3. Tratamento e análise do risco com a elaboração de um plano de ação para prevenção, redução ou transferência da ameaça;
  4. Monitoramento contínuo da situação e das estratégias implementadas;
  5. Comunicação contínua entre os envolvidos.

Como você pôde ver, o processo de gerenciamento de ameaças deve ser baseado em algumas ações estratégicas bem delineadas. Por meio da aplicação e do planejamento, é possível mitigar riscos e trazer mais segurança para o negócio.

Gostou deste artigo sobre gestão de riscos? Então assine a nossa newsletter e fique por dentro de outros conteúdos relevantes para a eficiência do seu negócio.