Uma coisa todo mundo sabe: trabalhadores com motivação tendem a produzir mais. Por isso, é fundamental garantir qualidade de vida no trabalho. Mas, afinal, o que ela significa?

Nossa proposta aqui é apresentar as melhores técnicas e ferramentas para promover uma melhor qualidade de vida para os colaboradores de uma empresa. Para isso, vamos falar sobre sua importância, a criação de um bom clima organizacional e sobre o papel do RH na valorização das tarefas e no desenvolvimento das carreiras. Confira agora!

1. Pense além das questões materiais

Tanto os colaboradores quanto a empresa são responsáveis para garantir uma qualidade de vida no trabalho. A sua valorização pode afetar positivamente os resultados da empresa, otimizar os processos e promover uma melhor saúde para todos os funcionários.

A qualidade de vida numa empresa está ligada à saúde, ao bem-estar geral e ao desempenho dos funcionários de uma corporação. O termo foi impulsionado pelo professor da Universidade Califórnia Louis Davis, que desenvolveu o conceito nos anos 1970. O pesquisador andava preocupado com estresse, desmotivação e doenças laborais.

Com o conceito de qualidade de vida, a dimensão material do trabalho (como bons salários, presença de equipamentos adequados para a produção, cumprimento das metas) deixou de ser a única preocupação central.

2. Crie um bom clima organizacional

A forma como o capital humano (as pessoas) é tratado interfere muito para que a qualidade de vida aconteça. Afinal, os profissionais não querem apenas um salário ao final do mês, mas serem reconhecidos nas suas particularidades, respeitados no dia a dia e trabalhar em ambientes agradáveis.

Ou seja, é fundamental ter o bom clima organizacional. Essa preocupação é particularmente mais forte entre os profissionais que surgiram no mercado a partir da chamada geração X.

3. Valorize o profissional de RH

Uma série de questões contribui para a qualidade de vida no trabalho. A atuação dos gestores e dos profissionais de Recursos Humanos (RH), por exemplo, é fundamental para harmonizar relações interpessoais, projetar e garantir oportunidades nas carreiras dos profissionais da empresa, zelando pela saúde física e psicológica e pela autonomia e individualidade de cada um.

4. Tenha espaços de escuta

Outro ponto importante é que o profissional se sinta ouvido para contribuir com o desenvolvimento da instituição e tenha a liberdade e os espaços adequados para fazer eventuais reclamações.

O espaço para a escuta da empresa (e não apenas o recebimento de ordens) é parte importante da qualidade de vida. E o profissional de RH é a pessoa mais indicada para atuar nesse caminho.

Todos esses pontos são importantes para que práticas poucos saudáveis e desgastantes, como fofocas e brigas internas, apareçam para prejudicar o clima interno e levar problemas para o bom desempenho da instituição no mercado.

Em um mundo marcado pela competição, pelo cumprimento de metas e pela robotização, a valorização do ser humano não pode ser colocada em segundo plano.

Gostou do nosso texto sobre qualidade de vida no trabalho? Tem alguma sugestão sobre o assunto? Deixe o seu comentário aqui no blog!